Antidepressivos: Saiba Mais Sobre essa Medicação!

antidepressivosOs antidepressivos são remédios que agem no sistema nervoso central buscando tratar transtornos psiquiátricos. Eles são usados mais comumente para o tratamento de depressão e ansiedade, porém também auxiliam em outros casos de doenças psicológicas. Eles agem no cérebro buscando equilibrar toda a química do sistema nervoso, já que as principais doenças tratadas com antidepressivos são causadas pelo desequilíbrio eletroquímico do cérebro.

Muitas pessoas acreditam que os antidepressivos são “pílulas da felicidade”, mas não é bem assim. Se uma pessoa mentalmente saudável os usar, pode ser perigoso. A medicação demora cerca de 10 dias para começar a fazer efeito, e o tratamento costuma ser demorado, mas não quer dizer que a pessoa se torna dependente. No final, há uma dica às pessoas que necessitam de um produto 100% natural!

Experimente Hoje Mesmo!

Como os antidepressivos agem?

Como dissemos, a maior parte dos transtornos psiquiátricos ocorrem pelo desequilíbrio químico do cérebro, ou seja, problemas na comunicação dos neurônios. Os neurônios liberam alguns neurotransmissores, esses neurotransmissores deveriam ser repassados por entre os neurônios, e é exatamente aí que está o problema.

antidepressivos como os

Os neurotransmissores são responsáveis pelas emoções, e no cérebro da pessoa doente, esse neurotransmissor não consegue ser repassado e acaba sendo destruído. Digamos que a serotonina é o neurotransmissor responsável pela felicidade, se ela não consegue percorrer o cérebro, a pessoa se sente deprimida e entra em depressão.

Os antidepressivos consertam esse problema, ou seja, eles impedem que a serotonina (ou outro neurotransmissor) seja destruída, facilitando a transmissão deles pelo cérebro. Fazendo essa ponte entre os neurônios, os antidepressivos permitem a passagem dos neurotransmissores e deixam o cérebro funcionando normalmente.

Tipos de antidepressivos

Existem diversos tipos de antidepressivos, e cada um deles age de maneira diferente no cérebro. Sendo que cada pessoa se adapta melhor a cada tipo.

  • Tríciclos (ADT) – Esse foi o primeiro tipo de antidepressivo descoberto. Eles agem aumentando a quantidade de serotonina no cérebro, além de noradrenalina e um pouco de dopamina.
  • Inibidores – Esse é o tipo mais comum. Esse tipo de antidepressivo impede que a serotonina seja segurada por um mesmo neurônio. Ou seja, quase que obrigatoriamente, a serotonina terá de ser captada por outro neurônio diferente, fazendo com que ela se espalhe pelo cérebro.

Esse tipo de antidepressivo funciona para um neurotransmissor específico, e apenas ele. O ISRS age sobre a serotonina, o ISRN sobre a noradrenalina e o IRSD sobre a dopamina.

Os principais antidepressivos são: Sertralina (Zoloft), Fluoxetina (Prozac), Fluvoxamina (Luvox) e Paroxetina (Aropax)

Casos onde o depressivo pode ser útil:

Embora o próprio nome do medicamento fale sobre a depressão, os antidepressivos podem ser usados para outros tipos de doenças psicológicas, tais como:

Transtornos de ansiedade: Boa parte dos transtornos de ansiedade são tratados com antidepressivos, eles podem ser indicados para casos de fobia social, síndrome do pânico, transtorno de estresse pós-traumático e transtorno obsessivo compulsivo.

antidepressivos casos onde

Transtornos de personalidade: Os casos de transtorno bipolar também são em sua maioria tratados com antidepressivos, assim como os casos de transtorno borderline. Porém, o tratamento precisa sempre ser gerenciado pela psiquiatra.

Transtornos alimentares e insônia: Há muitos casos de pacientes que reagiram bem aos transtornos alimentares com o uso de antidepressivos, assim como a insônia.

Efeitos colaterais

O principal problema do uso de antidepressivos são os efeitos colaterais, e são diversos. Cada caso pode ter seus efeitos específicos, assim como também podem não haver quase nenhum.

antidepressivos efeitos

Os principais efeitos colaterais são:

  • Alteração na libido, ou seja, falta ou excesso de desejo sexual
  • Síndrome de abstinência, os antidepressivos não deixam de ser uma droga, e como qualquer uma, há problemas de abstinência se o tratamento for interrompido de forma incorreta.
  • Tendências suicidas, principalmente no início, quando o cérebro está se adaptando.
  • Efeitos específicos: Insônia, tremores, vertigem, diarreia, irritabilidade, fadiga e descoordenação motora.

 

Saiba Mais  Site Oficial

 


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas (Nenhuma avaliação ainda)
Loading...

Leave a Reply